A verdade dos biocombustiveis | The truth on biofuels | La verdad de los bio combustibles

bio-fuels_food_competitionAcabo de ler dois artigos muito interessantes através do Instituto de Pesquisa de Permacultura na Australia (podem ler os artigos aqui e aqui, estão em inglês mas quem estiver interessado em saber o que dizem pode-nos escrever que nós explicamos). Relaciona-se muito com o nosso projecto e quero aproveitar a oportunidade para escrever um pouco sobre biocombustíveis.

Parece uma ideia óptima certo? “Bio” e “combustível” numa palavra só faz-nos sentir bem connosco próprios, um prefixo mágico que nos deixa de consciência tranquila ao ir de carro ao supermercado que está a 500 metros de casa, porque usamos um biocombustível. Mas já pensaram mesmo de onde vêm? O que é preciso para os fazer?

Durante os preparativos para arrancar com o projecto, e ainda agora, fomos recebendo muitas críticas sobre o combustível que escolhemos. “Que ingénuos, o óleo vegetal não é nada ecológico!”, “Entao e as florestas?”, “E os preços do óleo vegetal a aumentar nos supermercados?”, entre outros interessantes pontos de vista.

Não negamos que temos uma grande dose de ingenuidade por achar que este mundo pode ser melhor se todos trabalharmos para isso mas para quem acha que somos inconscientes por viajar movidos a óleo vegetal, não nos cansamos de explicar:

A nossa Amarela é movida a óleo vegetal usado, óleo que foi utilizado para cozinhar e que é considerado um resíduo quando o recolhemos. A nossa ideia é chamar a atenção para a quantidade de desperdício que se produz sem se pensar duas vezes e ao mesmo tempo, utilizamos um combustível mais amigo do ambiente do que o diesel – chip-busleiam aqui a publicação do Andy Pag sobre esta questão, o Andy já fez três expedições com combustíveis alternativos, incluindo uma volta ao mundo com a Biotruck Expedition e está agora a preparar um novo projecto, um avião movido a plástico não reciclável. Há muitas alternativas a combustíveis fósseis e embora este assunto esteja a ser muito falado hoje em dia, tal como a agricultura biológica, não é novidade. Desde o final do séc. XIX que há registos de estudos e experiências com motores movidos a ar comprimido, àgua, energia magnética e eléctrica. Por alguma razão ou outra (provavelmente pelo fraco potencial económico a longo prazo) estas ideias nunca foram desenvolvidas e utilizadas a grande escala. O óleo vegetal usado é uma opção que é acessível agora e a qualquer um, com uma pequena modificação ao motor do carro que, nalguns casos, nem sequer é precisa. Sim, é preciso aprender um pouco sobre o uso deste combustível e claro que tem um cheiro diferente, mas se é melhor ou pior que o diesel deixo à vossa consideração… Pessoalmente, prefiro sentir o cheiro a óleo do que diesel.

Então, qual é a verdadeira vantagem de usar bio-diesel se o óleo vegetal usado é um resíduo que já de si é um excelente carburante sem necessidade de adicionar químicos? “É que o óleo estraga o motor” é o que nos dizem. Então e o diesel, ou mesmo o bio-diesel, não fazem o mesmo? Propomos um desafio, sentem-se perto de uma paragem de táxis e prestem atenção aos diferentes cheiros que saem dos escapes. Se os táxis, que são carros cujos motores são testados ao limite, usam óleo vegetal usado, porque é que nós comuns mortais não o podemos fazer? E em Portugal até temos o privilégio de ser perfeitamente legal, basta pagar o imposto sobre o carburante.

Claro que o óleo vegetal usado não é o combustível do futuro, mas já é qualquer coisa. Pelo menos enquanto esperamos pelas verdadeiras soluções alternativas de combustíveis. E de certeza que é melhor do que o biodiesel e do que comprar óleo novo nos supermercados, como temos visto muito boa gente fazer. Aliás, até há quem compre óleo novo para fazer bio-diesel, que combinação poderosa de patetice…

Photo taken from the Budapest Business Journal

Photo: Budapest Business Journal

Saibam que a nova moda dos bio-combustíveis está a ser a grande causa do desflorestamento massivo por todo o mundo, da utilização de terra que deveria ser para cultivo de comida e não de combustíveis, para o aumento dos preços do óleo alimentar, para o descomedido uso de grãos geneticamente modificados e fertilizantes, pesticidas e outros quimicos para o rápido crescimento dessas safras…

Não usem o prefixo BIO como tranquilizador de consciência, informem-se sobre quanto de bio tem de facto um produto bio. E acima de tudo, não pensem que lá porque não vêem estes problemas ambientais e sociais a acontecer ao vosso lado que eles não estão a acontecer ou que não vão ser afectados por eles, Se não o fazem por vocês, façam-no pelas gerações futuras que vão ter de limpar o nosso lixo.

Joaninha com cor

I have just read two very interesting articles via the Permaculture Research Institute in Australia (you can read both articles here and here). They They very much relate to our project and I’m going to take the opportunity to dwell a little on biofuels.

It sounds great right? “Bio” and “fuel” combined in one word makes us feel good about ourselves, a magical prefix that quiets our consciousness while we drive to the supermarket that is just 500 meters away from your front door. But have you ever considered where it comes from, this biofuel? What it takes to make it?

While preparing for our project, and even now, we received a lot of criticism on the fuel we chose to use: “You’re so naïve, vegetable oil is not ecological”, “how about the forests?”, “how about the rising prices of oil in the supermarkets?”, amongst other interesting points of view.

We cannot deny that we have a great dose of ingenuity to think that we can make a better world if we all work together but for those who believe us to be completely unconscious for traveling fuelled by vegetable oil, we do not get tired of explaining:

Our van, Amarela, is fuelled by waste vegetable oil, oil that was used to cook and was considered a residue when we collected it. Our idea is to raise awareness on the amount of waste that is produced without a second thought while, at the same time, using a fuel that is more environmentally friendly than diesel – read here a post by Andy Pag about this; Andy has already travelled on three expeditions using alternative fuels, including the Biotruck Expedition that went around the world on waste vegetable oil. He is now preparing a new project, an airplane fuelled by non recyclable plastic. There are many alternatives to fossil fuels and although this subject is being widely discussed nowadays, just like organic farming, it is not a novelty. There are records of studies and experiments, dated from the end of the 19th century, of engines running on compressed air, water, magnetic energy and electricity. For one reason or another (probably due to the low economical potential in the long term), these ideas were never developed and used on a large scale. Waste vegetable oil is an option that is available now and to anyone, simply by installing a small piece in the car’s engine that, in some cases, is not even necessary. Yes you’ll have to learn a little about the use of this fuel and of course it does smell different but if it’s better or worse than diesel I leave it to you to judge… Personally I prefer the smell of oil than diesel.

So what is the real advantage of using bio-diesel if the waste vegetable oil is a residue that just by itself is already an excellent carburant without the need to add any chemicals? “Because the oil wears down the car’s engine” is what we are commonly told. Well, how about diesel or even bio-diesel, don’t they do it too? We propose a challenge; this is particularly for Portugal as I am not sure how true it may be for other countries but if you feel like taking the opportunity I would love to hear your feedback! So, sit close to a taxi rank and notice the different smells that come out of their engines. Now I wonder, if taxis, whose engines are tested to the limit, use vegetable oil for fuel, why can’t we, common mortals, do the same? Also in Portugal it is completely legal, you just have to pay the tax for the fuel (again, not sure how this applies for other countries…).

Of course that waste vegetable oil is not the fuel of the future, but it’s something. At least while we wait for the real alternative fuels to be available. And it certainly is better than biodiesel or buying new oil at the supermarkets, as we have seen many people doing. In fact, some people actually buy new oil to make biodiesel, what a powerful and ignorant combination…

Be aware that this new fashion of biofuels is the main cause for worldwide mass deforestation, for replacing food crops and using arable land to grow biofuels, for the continuous rise of prices of oil for food, for the immoderate use of genetically modified grain and associated fertilizers, pesticides and other chemicals to promote the rapid growth of those crops.

Do not use the prefix BIO as a consciousness soother; get informed on how much bio there actually is on a bio product. And above all, do not think that just because you do not see these environmental and social problems happening right next to you that they are not happening at all, or even that they will not affect you. If you are not willing to do that for yourself, do it for the future generations that will have to clean up our rubbish.

Joaninha com cor

Acabo de leer dos articulos muy interesantes a traves del Instituto de Pesquisa de Permacultura en Australia (pueden leer los articulos aqui y aqui, están en ingles asi que quien este interesado en saber que dicen pero no puede leer ingles nos puede escrivir que nosotros les explicamos). Esto se relaciona mucho con nuestro proyecto asi que aprovecho la oportunidade para escrivir un poco sobre bio combustibles.

Parece una idea fantastica no? Colocar “bio” y “combustible” en una palabra sola nos hace sentir bien con uno mismo, un prefijo magico que nos tranquiliza la mente mientras vamos en el auto hasta el supermercado que esta solo a 500 metros de la puerta de casa, solo porque usamos un bio combustible. Pero alguna vez les occurrió de donde vienen, esos bio bio combustibles? Que es necesario para hacerlos?

Mientras nos preparavamos para arrancar con el proyecto, y tambien recientemente, ibamos recibiendo muchas criticas sobre el combustible que elegimos: “que ingenuos, el aceite vegetal no es nada ecologico!”, “Y los bosques?”, “Y los precios del aceite que aumentan en los supermercados?”, entre otros interesantes puntos de vista.

No negamos que tenemos una gran dosis de ingenuidad por creer que se puede tener un mundo mejor si todos trabajamos para eso, pero para quién nos cree totalmente inconscientes por viajar a aceite vegetal, no nos cansamos de explicar:

Nuestra furgo es movida a aceite vegetal usado, aceite que fue utilizado para cocinar y que era un residuo cuándo lo fuimos a recojer. La idea es llamar la atención para la cantidad de desperdicio que se produce sin pensar do veces mientras usamos un combustible más amigo del ambiente que el diesel – lean aqui la publicación de Andy Pag sobre el asunto, Andy ya hizo trés expediciones usando combustibles alternativos, incluso una vuelta al mundo con la Biotruck Expedition; ahora esta preparando un nuevo proyecto, un avion movido a plastico no reciclable. Hay muchas alternativas a los combustibles fossiles y aunque este sea un tema muy debatido hoy en día, tal como la agricultura orgánica, no es una novedad. Desde el final del siglo XIX que hay registro de estudios y experimentos de motores movidos a aire comprimido, agua, energia magnetica y electrica. Por una razón o otra (probablemente por el flaco potencial economico a largo plazo) estas ideas nunca fueron desarrolladas y utilizadas a larga escala. El aceite vegetal es una opción que está disponible ahora y es accessible a qualquier uno, solo con una simple instalación en el motor, que en algunos casos ni siquiera es necesaria. Si, hay que aprender un poco sobre la utilización deste combustible y claro que tiene un olor distinto, pero si este es mejor o peor que el olor del diesel les dejo a ustedes que juzguen… Personalmente, prefiero el olor del aceite al diesel.

Entonces, cuál es la verdadera ventaja en utilizar bio diesel si el aceite vegetal usado ya es un excelente carburante, sin ser necesario agregar quimicos? “Es que el aceite arruina el motor” es lo que nos dicen. Y el diesel, o el bio diesel, no hacen lo mismo? Les proponemos un desafio; esto es especialmente para Portugal ya que no estoy segura de como sera para otros paises pero si lo quieren hacer, me encantaria escuchar que encontraron! Es asi, vayan a una parada de taxis y prueben sentir los diferentes olores que salen de los motores. Asi que pregunto, si los taxis que testan al limite sus motores, usan aceite vegetal usado, por que nosotros, communes mortales, no lo podemos hacer? Y en Portugal hasta tenemos el privilegio de ser totalmente legal, solo hay que pagar el impuesto del combustible (una vez mas, esto se aplica a Portugal, no se como sera en otros paises).

Obvio que el aceite vegetal usado no es el combustible del futuro, pero ya es algo. Por lo menos mientras esperamos por las verdaderas alternativas a los combustibles fossiles. Y seguramente que es mejor que el bio diesel o que comprar aceite nuevo en supermercado, como hemos visto hacer. En realidad, hay quien compre aceite nuevo para hacer bio diesel, que combinación poderosa y ignorante…

Sepan que esta nueva moda de los bio combustibles es la gran causadora de la deforestación en masa por todo el mundo, de la utilización de tierra cultivable para producer combustibles, del aumento historico de los precios del aceite alimentar, del uso desmesurado de granos geneticamente modificados y fertilizantes, pesticidas y otros quimicos para el rapido crescimiento de estos cultivos…

No usen el prefijo BIO como un tranquilizador de conciencia, informense sobre quanto bio es realmente un producto bio. Y sobre todo, no piensen que por no ver estos problemas ambientales y sociales a vuestro lado, ellos no están pasando o que no seran afectados por ellos. Si no lo hacen por ustedes, háganlo por las generaciones futuras que van a tener de limpiar nuestra basura.

Advertisements
Categories: Eco-activism | Leave a comment

Post navigation

Leave a brick

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

Blog at WordPress.com.